Leitores da Veja se revoltam após revista avisar que ‘nazismo é de direita’

211
0
leitores da veja nazismo esquerda direita

Uma discussão tomou conta das redes sociais no Brasil após os incidentes raciais em Charlotesville: afinal, o nazismo é de direita ou de esquerda?

A ideia de uma “revolução social para a Alemanha” deu origem ao Partido Nacional-Socialista alemão, em 1919. O “socialista” no nome é um dos principais argumentos usados nos debates de internet que falam no nazismo como um movimento de esquerda, mas historiadores discordam.

“Me parece que isso é uma grande ignorância da História e de como as coisas aconteceram”, afirma Izidoro Blikstein, professor de Linguística e Semiótica da USP e especialista em análise do discurso nazista e totalitário.

“O que é fundamental aí é o termo ‘nacional’, não o termo ‘socialista’. Essa é a linha de força fundamental do nazismo – a defesa daquilo que é nacional e ‘próprio dos alemães’. Aí entra a chamada teoria do arianismo”, explica.

De acordo com Blikstein, os teóricos do nazismo procuraram uma fundamentação teórica e filosófica para defender a ideia de que eles eram descendentes diretos dos “árias”, que seriam uma espécie de tribo europeia original.

SAIBA MAIS AQUI: A polêmica entre esquerdistas e direitistas sobre a ideologia nazista

“Estudiosos na Europa tinham o ‘sonho da raça pura’ nessa época. Quanto mais próximos da tribo ariana, mais pura seria a raça. E esses teóricos acreditavam que o grupo germânico era o mais próximo. Daí surgiu a tese de que, para serem felizes, tinham que defender a raça ariana, para ficar longe de subversões e decadência. (Alegavam que) a raça pura poderia salvar a humanidade.”

Polêmica na Veja

A revista Veja, principal publicação conservadora do Brasil, provocou revolta com um texto recente em que admite que o nazismo é de direita.

Com o título Hitler era de direita. Mas por que se importar com isso?, a publicação afirma que Charlottesville arranhou a identidade grupal da “nova direita” brasileira e que ‘vem daí a bizarrice de afirmar que o nazismo é de esquerda’.

“Os arautos da nova direita trombeteiam que o nazismo instaurou um Estado forte, e que isso é coisa de esquerda. Também lembram que o agrupamento político de Hitler se chamava Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães – repetindo: Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães. Se era socialista, e ainda por cima dos Trabalhadores, então só pode ser de esquerda, certo? São argumentos que podem ser expressos em um meme, o que diz muito sobre a profundidade do pensamento neodireitista capiau”, diz parte do texto.

VEJA TAMBÉM: Os trechos de Mein Kampf que derrubam os mitos sobre o nazismo

Não demorou muito para que dezenas de leitores demonstrassem indignação. Confira como reagiram os ‘neodireitistas’ da Veja:

Ainda sobre o tema, leia abaixo texto de Michel Gherman, professor da Universidade Hebraica de Jerusalém e coordenador do Centro de Estudos Judaicos da Universidade Federal do Rio de Janeiro:

Tenho acompanhado debates e discussões sobre a natureza política do nazismo. Com alguma preocupação tenho visto pessoas compartilharem informações segundo as quais o nazismo seria um movimento de esquerda, uma vertente do socialismo, uma forma de marxismo. Eu realmente não pensava que um artigo como esse seria necessário. No início achava que o debate não passava de uma discussão de gente ideologicamente comprometida, um debate sem importância nas redes sociais. Pois bem, não era isso. Em tempos de “fake News”, versões falseadas de história também devem ser combatidas, sob o risco de se tornarem versões oficiais.

Pessoas que defendem a tese de que o nazismo era de esquerda o fazem baseado em dois argumentos principais, o primeiro deles seria de que o próprio nome do partido de Adolf Hitler continha o termo “socialismo”, o que segundo eles seria uma prova para apontar a identificação do movimento com o marxismo. O segundo argumento seria o de que um certo estatismo nazista aproximaria o nazismo da esquerda política.
Iniciaremos com o primeiro argumento:

A ideia de que o nome de um partido explicitaria, de forma direta e absoluta sua identidade é um exagero e um equivoco. Assim fosse, alguns partidos brasileiros seriam bastante diferentes do que são. O PDS seria um partido de esquerda. O atual PTB estaria, de fato, preocupado com o legado trabalhista e o PPS estaria na extrema esquerda do espectro político. Basear a natureza de uma agremiação política apenas em seus títulos remete a um nominalismo banal e irrelevante. Infantiliza o debate e transforma tudo em uma discussão rasa e baixa. Além de demonstrar profundo desconhecimento histórico mesmo.

Me explico:

O Partido Nacional-Socialista dos trabalhadores Alemães, havia sido criado a partir do Partido dos Trabalhadores Alemães, fundado por Anton Drexler. Esse partido desde sempre fora anti –comunista e antissemita e tentava combater o marxismo e os levantes comunistas na Alemanha. Em 1920, Adolf Hitler toma a liderança do partido e o transforma em Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães.

Sua intenção era criar um partidos de massas, radicalmente antissemita e anti-comunista. Hitler e os nazistas eram nacionalistas extremistas. Acreditavam na construção de um Estado alemão baseado na raça ariana. Assim, quaisquer perspectivas de classes ou internacionalistas eram consideradas posições inimigas e deviam ser derrotadas. Dessa forma, Hitler percebe o socialismo, o marxismo e o judaísmo como inimigos. Os dois primeiros por falar em luta de classe e internacionalismo, o segundo por ser, segundo ele, cosmopolita.

Não há dúvida, o nacional–socialismo se consolida como movimento de extrema direita, anti-marxista e antissemita.
Agora sobre o segundo ponto, a pretensa aproximação com o socialismo pela perspectiva estatista do Nazismo.

Para além de ser antissemita e anti-comunista, o nazismo sempre fora anti-liberal. Assim, ele não acreditava em políticas universalistas e descentralizadas. O Estado Nazista, contrário a luta de classes, se aproximava de grandes empresas, tinha um discurso anti especulativo e tinha como objetivo a expansão racial, militar e territorial.
Mais uma vez, ao contrário de perspectivas social-democratas, socialistas ou marxistas, a centralização estatal não tinha intenções distributivas, não pretendia combater a desigualdade econômica ou diferenças sociais. Ao contrário, a razão de existência do Estado era manter as diferenças, diferenças raciais. Estabelecer um estado racialmente hegemônico, escravizar e eliminar raças inferiores. Combater e exterminar a oposição que falava em classes sociais.

O nazismo, ao contrário do socialismo, não intencionava a abolição da propriedade privada e nem a coletivização dos meios de produção. O nazismo gostaria de garantir a arianização da economia, buscava ter alianças com grandes empresas verdadeiramente alemães e buscava construir um estado corporativo. O nazismo constituía-se assim, como modelo de capitalismo excludente e estatal. Nada mais distante do que qualquer posição à esquerda.

Mas não se enganem, nada mais distante, também, de qualquer posição de direita liberal. O nazismo era um movimento de extrema–direita, o que em sua natureza é distinto da direita liberal e democrática.

Por fim, gostaria de afirmar o vínculo do nazismo com teorias conspirativas da história. O complô judaico-marxista era constantemente denunciado por Adolf Hitler em discursos e textos. Não havia, nesse sentido, espaço para o livre pensar.

Todos estavam vinculados a alguma conspiração e deviam ser delatados ao Estado. Assim, não havia espaço para uma esquerda liberal, para a social democracia, para o socialismo não marxista. Ser de esquerda era, segundo as teses nazistas, ser vinculado ao complô judaico-bolchevique. Ser marxista era ser parte da conspiração judaico-comunista.

Devo dizer que o que mais me preocupa nessa onda que tenta vincular o nazismo a esquerda é que percebo esta mesma tentativa. A ideia de conspiração também está presente hoje, Em textos, posts ou vídeos, a narrativa de uma conspiração esquerdista me faz pensar que estamos diante de um novo surto de extrema direita. O que seria trágico para todos os democratas e liberais, sejam de direita ou de esquerda.

O post Leitores da Veja se revoltam após revista avisar que ‘nazismo é de direita’ apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

Pragmatismo Político

211 COMENTÁRIOS

  1. My developer is trying to persuade me to move to .net from
    PHP. I have always disliked the idea because of the expenses.
    But he’s tryiong none the less. I’ve been using Movable-type on numerous websites for
    about a year and am anxious about switching to another platform.
    I have heard excellent things about blogengine.net.
    Is there a way I can import all my wordpress content into it?
    Any kind of help would be greatly appreciated!

  2. I know this if off topic but I’m looking into starting my own weblog and was wondering what all is required to
    get set up? I’m assuming having a blog like yours would cost a pretty
    penny? I’m not very web savvy so I’m not 100% sure.
    Any suggestions or advice would be greatly appreciated. Appreciate
    it

  3. Howdy, i read your blog occasionally and i own a similar one
    and i was just wondering if you get a lot of spam comments?
    If so how do you protect against it, any plugin or anything you can advise?
    I get so much lately it’s driving me insane so any help is very much appreciated.

  4. Hello there! This blog post couldn’t be written much better!
    Going through this post reminds me of my previous
    roommate! He continually kept preaching about this.
    I’ll forward this article to him. Fairly certain he will
    have a good read. I appreciate you for sharing!

  5. I’ve been exploring for a little for any high quality articles or weblog
    posts on this sort of space . Exploring in Yahoo I ultimately stumbled upon this site.

    Studying this info So i’m glad to express that I’ve a very excellent uncanny feeling I discovered exactly what I needed.
    I so much unquestionably will make certain to do not overlook this
    website and give it a look on a constant basis.

  6. Woah! I’m really enjoying the template/theme of this site.
    It’s simple, yet effective. A lot of times it’s tough to get that “perfect balance”
    between user friendliness and visual appeal.

    I must say you’ve done a great job with this. In addition, the blog loads super quick for me on Internet explorer.
    Excellent Blog!

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here