Para aprovar a Previdência, Temer perdoará dívidas bilionárias de sonegadores

0
14

Para cortar a aposentadoria do povo, Temer quer perdoar dívidas bilionárias de deputados, empresários e ruralistas

Socialista Morena

Ao mesmo tempo que usa a desculpa de “acabar com o déficit da Previdência” para promover uma “reforma” que vai fazer o brasileiro trabalhar 49 anos até se aposentar integralmente, Michel Temer perdoa aos ruralistas bilhões em dívidas com a mesma Previdência em troca de votos no Congresso. Dá para entender? Com a direita no poder, o governo se tornou um Robin Hood às avessas: tira dos pobres para dar aos ricos.


Editada novamente pelo governo, a MP 783/2017, chamada de novo Refis, cria o Parcelamento Especial de Regularização Tributária e amplia as vantagens ao empresariado, podendo causar um rombo de 300 bilhões de reais na arrecadação pelas contas da Receita Federal. As condições de pagamento são uma moleza: parcelas mínimas de 200 reais para pessoas físicas e de 1 mil reais para pessoas jurídicas com dívidas de até 15 milhões de reais com o governo, e redução de multas e juros que podem chegar a 99%.


Já a MP 793/17, outra moeda de troca do governo para garantir os votos da bancada ruralista e livrar o presidente Temer da denúncia de corrupção passiva, renegocia dívidas com o Funrural, nome popular da contribuição previdenciária dos produtores rurais, em até 180 parcelas. A medida afeta ainda mais o caixa da Seguridade Social, porque reduz a alíquota do Funrural de 2,1% para 1,3% a partir de janeiro de 2018. Cálculos da Receita estimam que a perda na arrecadação será superior a 10 bilhões de reais, somados o perdão de multas e juros. Esse número pode ser pior, pois, neste momento, a bancada ruralista articula mais benesses nas condições de pagamento e na taxa de juros.

A Previdência Social teria dinheiro suficiente em caixa se não fossem os desvios de suas receitas, as sonegações perdoadas e as benesses concedidas, como fizeram agora com o perdão aos ruralistas

O perdão aos ruralistas enquanto o povo paga o pato se soma à série de injustiças do governo Temer na área social desde que tomou de assaltou o Palácio do Planalto. Cortou programas sociais, loteou cargos públicos, liberou bilhões em emendas e bancou a retirada de direitos dos trabalhadores. Sem contar que sufocou o SUS e que a máquina do Estado pode parar a qualquer momento –sem dinheiro para as universidades e agências do INSS e até mesmo para pagar as contas de água e luz. A regra mais aplicada pelo governo golpista e sua base aliada é uma só: a corda sempre arrebenta do lado mais fraco. Agora, a reforma da Previdência é apontada pelo governo como a única saída para acabar com o déficit de 184 bilhões de reais.


Continue lendo no Blog da Cynara Menezes

Leia também: Governo irá perdoar 2 trilhões em dívidas de ricaços

Falandoverdades

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here