Tucanos mineiros se beneficiam da prescrição do mensalão tucano e nem serão julgados

5
0

O esquema de desvio de recurso públicos feito pelo PSDB em Minas, conhecido como ‘mensalão tucano’, e denunciado pela Procuradoria-Geral da República, está completando dez anos de quase total impunidade; dos 12 citados e transformados em réus, quatro foram beneficiados pela prescrição; apenas Eduardo Azeredo, acusado de liderar o esquema, foi condenado a 20 anos e dez meses de prisão por peculato e lavagem de dinheiro; mas recorreu e está em liberdade sem que o seu julgamento em segunda instância tenha sido sequer pautado

Minas 247 – Já tem quase uma década sem que as denúncias apresentadas pela Procuradoria-Geral da República, sobre o mensalão tucano, passe sem que ocorra o julgamento dos citados envolvido no esquema de desvio de recursos no governo de Minas Gerais.


Dos 12 réus incialmente citados, chega a quatro o número daqueles que não serão julgados. Agora é a vez de o benefício atingir Lauro Wilson de Lima Filho, ex-diretor de uma estatal mineira, acusado de peculato. É que ele completou 70 anos no mês passado e pediu a justiça, que ainda não se posicionou, para ser beneficiado pela prescrição.

De todos os envolvidos, a única sentença é a condenação do ex-presidente do PSDB de Minas, Eduardo Azeredo, a 20 anos e dez meses de prisão por peculato e lavagem de dinheiro. Acusado de liderar um esquema que desviou de empresas públicas R$ 14 milhões (valores atualizados) para a sua campanha ao governo mineiro em 1998, Azeredo recorre em liberdade sem que o seu julgamento em segunda instância tenha sido sequer pautado.


Foram, ainda, beneficiados pela prescrição por causa da idade, as ações contra Walfrido dos Mares Guia, ex-vice-governador de Minas, e Cláudio Mourão, coordenador financeiro da campanha de Azeredo, também prescreveram por causa da idade. Outro réu, Fernando Moreira Soares, morreu em 2015, segundo reportagem de José Marques, na Folha.

Falandoverdades

5 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here